Dia do Jovem Aprendiz: Juíza do TRT-16 orienta sobre empregabilidade e desafios para jovens

quarta-feira, 24 de Abril de 2024 - 9:48
Redator (a)
Gustavo Melo
Revisor (a)
Rosemary Araujo
No centro da imagem, a Juíza do Trabalho Liliana Bouéres é cercada por alunos, alunas e professoras do Centro de Integração Empresa Escola (CIEE).
Juíza do Trabalho, Liliana Bouéres, palestrando no Centro de Integração Empresa Escola (CIEE)

A relação entre trabalho, adolescentes e o Judiciário foi tema de uma palestra proferida pela juíza do trabalho Liliana Bouéres na manhã da última quinta-feira (18/4), no Polo de Capacitação do Centro de Integração Empresa Escola (CIEE), na Faculdade Anhanguera, em São Luís. Na plateia, 45 jovens aprendizes, que estão iniciando a vida acadêmica em paralelo com atividades profissionais.

Promovido pelo CIEE, o evento intitulado "O Sucesso Após a Aprendizagem: O Start na Empregabilidade!" faz parte das comemorações do Dia Internacional do Jovem Trabalhador, celebrado nesta quarta-feira, 24 de abril. O encontro serviu para trocar ideias e discutir a importância da aprendizagem, com foco no impulso à empregabilidade dos jovens.

Titular da Vara do Trabalho de Barreirinhas e vice-coordenadora da Comissão de Combate ao Trabalho Infantil e de Estímulo à Aprendizagem, a juíza começou expressando sua felicidade por participar das comemorações e poder ouvir e compartilhar histórias com os presentes. Como forma de incentivá-los, a magistrada falou um pouco de sua história de mais de 10 anos atuando na Justiça do Trabalho, desde seu período como acadêmica de Direito até alcançar a atual posição de magistrada, descrevendo as renúncias, dificuldades e superações vividas ao longo dos anos.
Em seguida, conduziu sua exposição destacando a importância da adaptação dos profissionais às mudanças que o mercado está exigindo. Também ressaltou os benefícios de buscar qualificação, como participação em cursos e eventos, que, além do retorno financeiro, trazem também a satisfação pessoal de estar sempre atualizado e bem preparado para qualquer atividade.

Ao destacar essas contínuas atualizações que impactam o mercado de trabalho, a magistrada abordou o histórico das revoluções industriais, mostrando a transformação radical na forma de produção da sociedade, desde a mecanização da produção têxtil e o uso do vapor até a produção em massa e a automação e tecnologia digital, revoluções que mudaram o modo como trabalhamos, vivemos e nos relacionamos.
Nesse cenário de tamanha evolução tecnológica, Liliana abordou o perfil exigido dos profissionais, destacando o surgimento da inteligência artificial. Segundo ela, uma pesquisa do Observatório Nacional da Indústria colocou o aperfeiçoamento profissional e a requalificação como itens que ocuparão 79% das necessidades para que os profissionais possam se adequar ao futuro do trabalho.

Outro ponto de destaque da palestra foi a apresentação do objetivo número 8 da Agenda 2030 da Organização das Nações Unidas (ONU), que tem a missão de promover o crescimento econômico sustentado, inclusivo e sustentável, emprego pleno e produtivo, e trabalho decente para todos. Entre as ações, destaque para alguns programas do Tribunal Regional do Trabalho da 16ª Região, como os Comitês Regionais de Prevenção e Combate ao Assédio Moral, Assédio Sexual e Toda Forma de Discriminação no Ambiente de Trabalho.

Para finalizar o encontro, a magistrada sugeriu três filmes aos estudantes: "O Menino que Descobriu o Vento", "Mãos Talentosas" e "Um Sonho Possível". Todos retratam a importância da educação, superando os mais variados desafios. Como a maioria já conhecia as obras, o encontro encerrou com um bate-papo animado e descontraído sobre as lições tiradas ao assistir aos filmes.

122 visualizações